terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Jovem afegã dá à luz sêxtuplos gerados sem inseminação artificial

Agência afegã noticiou o nascimento dos sêxtuplos (Foto: Reprodução)  
Sara Gul, 22 anos, concebeu em Mazar-e-Sharif; um bebê está em risco.
Mulher confessou que tentou abortar ao saber da gestação múltipla.

Sara Gul, uma jovem afegã de 22 anos, deu à luz sêxtuplos, três meninos e três meninas, atingindo de uma só vez a média de filhos que mulheres afegãs costumam ter durante toda a vida. A gestação não foi causada por inseminação artificial, técnica que não existe no país.
As crianças nasceram com peso abaixo do normal; cinco apresentam boas condições de saúde, mas um deles está em estado preocupante, segundo o ginecologista Hamidi Elmi. Essa foi a primeira gravidez de Sara. Os bebês nasceram num hospital de Mazar-e-Sharif, capital da província de Balkh.
Nesta terça-feira (24), a mãe admitiu à Reuters que chegou a tentar um aborto ao saber que teria uma gravidez múltipla. "Eu até pulei de um muro, mas nada aconteceu com eles", afirmou.
Em declarações a agência afegã Pajhwok, a mãe assegurou que estava preocupada em como alimentar tantos filhos com o salário de seu marido, um humilde lavrador de 28 de idade, com quem se casou há um ano e meio.
Inicialmente, um exame de ultrassom mostrou quatro, e não seis bebês. "Fiquei com medo quando os médicos me falaram que eu estava esperando quatro crianças, mas agora estou muito feliz", afirmou Sara.
Natural de uma zona rural, Gul espera que o Governo preste algum tipo de assistência para que ela possa cuidar dos bebês.
Os bebês nasceram com pesos entre 1,18 quilos e 470 gramas e ficarão na incubadora até que atinjam dois quilos, explicou o ginecologista Hamidi Elmi. A direção do hospital afirmou que essa é a segunda vez que uma mulher dá à luz sêxtuplos no centro médico.
Cultura        
As mulheres no Afeganistão costumam casar muito cedo, às vezes ainda adolescentes. O casamento geralmente é arranjado e, pouco depois de formalizado, os filhos são esperados.
A região de Balkh, no norte do país, é relativamente estável comparada com a fronteira com o Paquistão, reduto da insurgência talibã.
Raras de ocorrer naturalmente, gestações múltiplas são geralmente o resultado de fertilização artificial, mas o tratamento sequer existe no Afeganistão.
As famílias afegãs se orgulham de possuir muitos membros, mas fatores como guerras, conflitos e pobreza são refletidos no índice de que uma em cada quatro crianças morre antes de completar 5 anos de idade.
Fonte:G1

2 comentários:

  1. Bom dia, meu anjo! Andei tristinha... coisas da saudade, de coração doído, saudade de abraço de filha distante, filha que mora no céu! Fui à casa da minha filha Adrianna, meu tesouro... e chorei muito, abraçando-a. Minhas lágrimas se misturaram com a chuva que tomei, até chegar no apartamento dela.
    Hoje, o sol amanheceu lindo e com ele a minha tristeza diminuiu, mas me deixou muito cansada. Agradeço a Deus por ter minha família e uma amiga tão especial como voce, que mesmo jovem, com idade pra ser minha filha, já passou pela dor maior que uma mãe pode passar. Por isso Fran, quando estiver assim como eu, me procure e exponha seus sentimentos. Obrigada pelo coração generoso e creia, eu te amo muito, amiga.
    Abraços carinhosos,
    Josi

    ResponderExcluir
  2. Olá flor passando pra conhece seu blog , e adorei tudo vc esta de parabéns estou seguindo vou adora ter vc no meu blog beijos flor..
    http://rosanadicasfemininas.blogspot.com/

    ResponderExcluir